O climatologista Alan Robock, da Rutgers University, compartilhou como seria um mundo pós guerra-nuclear durante uma entrevista com a Fox News.

E, de acordo com ele, as pessoas dentro do raio da explosão seriam destruídas – mas quase todas as formas de vida na Terra, até a vida no oceano, também sentiriam a dor.

“Uma bomba nuclear é como trazer um pedaço do sol para a superfície da Terra por uma fração de segundo, e tudo a uma certa distância seria incendiado”, disse Robock à Fox News. “Em Hiroshima, houve uma bomba com 15 quilotons de energia explosiva e tudo dentro de vários quilômetros quadrados apenas queimou e produziu fumaça”.

De acordo com ele, toda a fumaça preencheria a estratosfera bloqueando o sol por mais de cinco anos, segundo Robock.

Como seria um mundo pós guerra-nuclear

“As temperaturas seriam mais frias, haveria menos luz solar, menos chuva e haveria radiação UV em excesso porque o ozônio seria destruído”, disse ele ao canal.

Robock e sua equipe previram também em um artigo de 2019 publicado no jornal da União Geofísica Americana que uma guerra nuclear faria com que as temperaturas globais caíssem 9 graus Celsius ao longo de um ano.

Menos luz solar e temperaturas frias acabariam causando estragos estratosféricos em nosso suprimento de alimentos.

“Quando as lojas ficarem sem comida e a comida armazenada desaparecer, será muito difícil conseguir comida”, disse.

Os oceanos também seriam atingidos, segundo um artigo publicado na revista Geophysical Research Letters.

Mais dióxido de carbono absorvido da atmosfera significa que os oceanos se tornariam mais ácidos, dissolvendo as conchas e esqueletos de mariscos e corais.

Veja mais sobre ciência!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin