De acordo com um estudo realizado por pesquisadores de Harvard, o distanciamento social pode durar até 2022 devido à pandemia do novo coronavírus que atravessamos.

O estudo foi publicado na revista Science Today e analisa vários cenários por meio de cálculos de computador. Eles verificaram como o vírus se comporta na sociedade com base em outros vírus que assolaram a humanidade na história.

A conclusão é que as restrições atuais muito rapidamente ou muito cedo poderia atrasar o pico da epidemia – e possivelmente tornar as consequências ainda mais terríveis.

“Intervenções adicionais, incluindo capacidade ampliada de tratamento crítico e uma terapêutica eficaz, melhorariam o sucesso do distanciamento intermitente e acelerariam a aquisição da imunidade”, escrevem os pesquisadores no artigo, alertando que um “ressurgimento do contágio pode ser possível tão tarde quanto possível. 2024.”

De acordo com as informações obtidas por eles, o distanciamento social restrito pode acabar sendo prejudicial, pois não cria imunidade nas pessoas como um todo.

“O distanciamento social era tão eficaz que praticamente nenhuma imunidade populacional é construída”.

Eles dizem:

“Em todos os cenários, houve um ressurgimento da infecção quando as medidas simuladas de distanciamento social foram levantadas”.

Para resolver esse problema, os pesquisadores sugerem uma abordagem de ligar e desligar novamente, ou “distanciamento intermitente” que ocorre em intervalos regulares. Ou seja, realizar o distanciamento em pequenas doses.

“Não tomamos posição sobre a conveniência desses cenários, dado o ônus econômico que o distanciamento sustentado pode impor, mas observamos o ônus potencialmente catastrófico para o sistema de saúde que é previsto se o distanciamento for pouco eficaz e – ou não, por tempo suficiente. ,” eles escreveram.

Os cientistas, no entanto, admitem que algumas questões fundamentais precisam ser respondidas para que esses modelos se tornem mais precisos. Perguntas como: O vírus se espalha mais rápido no inverno do que no verão? Quanto tempo dura a imunidade após a infecção? Como o vírus irá interagir com outros vírus que causam sintomas comuns de resfriado?

Ainda assim, segundo os pesquisadores, as chances de eliminar completamente o vírus de uma vez por todas são reduzidas. O mundo provavelmente passará por ressurgimentos cíclicos de casos a cada ano, dois anos ou a cada dois anos.

Há uma grande arma para conter a pandemia, porém:

“Uma vacina aceleraria o acúmulo de imunidade na população, reduzindo a duração geral da epidemia e evitando infecções que poderiam resultar na necessidade de cuidados intensivos”, diz o estudo.

Mesmo assim, parece que nossa sociedade mudou para sempre depois desta epidemia. E continuará mudando.

Veja mais sobre ciência e sobre o novo coronavírus!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin