Sandi Bachom, um jornalista e documentarista independente, compartilhou esta fotografia no Yom HaShoah (Dia da Lembrança do Holocausto) no Twitter. E a imagem mostra três sobreviventes da mesma linha em Auschwitz, 72 anos depois.

O tuíte diz:

Hoje é #YomHaShoah #HolocaustRemembranceDay. Em 1944, o ano em que nasci, meus amigos Werner e Walter foram tatuados com 10 números de diferença em #Auschwitz. Por causa de um milagre no Facebook, pude filmar sua primeira reunião 72 anos depois. #Nunca mais

O canal de notícias de mídia social NowThis produziu um segmento que entrevista estes senhores, que contam um pouco do que passaram na época.

Vale a pena conferir.

Mesmo que eles tenham ficado na mesma linha nos campos de concentração, e lado a lado nos horrores do Holocausto, esta é a primeira vez que eles se conhecem.

Um dos senhores comenta sobre como foi tatuado:

“Você apenas ficava em uma fila, nu, alguém com uma lâmina enferrujada depilava todos os pelos de seus genitais, outro cortava seu cabelo, e outro pegava o seu braço. Tinha um cara sentado com um cartão, e escrevia o seu nome… e então pegava o seu braço – e nós fomos sortudos! Fomos sortudos porque estes números aparentam decentes, porque o homem que me tatuou, talvez o mesmo que tatuou ele, já sabia como fazer. Mas tinha alguns que tinham os números daqui ali (enormes)”.

Estes senhores estiveram em três campos de concentração diferentes ao mesmo tempo.

O outro logo conta sobre como chegou aos campos, quando estava com seu pai e irmão. E enquanto ele virava para um lado, e olhou de volta, seu irmão tinha desaparecido. Seu pai então escondeu ele e disse que ele “iria conseguir” [sobreviver].

Veja a entrevista completa no vídeo abaixo.

Os sobreviventes da mesma linha em Auschwitz

Se o vídeo não abrir, clique aqui para ver.

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin