Nem todo mundo se desenvolve de maneira igual. Mas diversos estudos indicam que o cérebro aos 25 anos de idade muda, em aspectos diferentes.

Funciona mais ou menos como um pico no desenvolvimento cognitivo dos seres humanos. Alguns podem até chamar de “crise de um quarto de vida”. Mas a verdade mesmo é que alguns fatores neurológicos mudam quem somos e como vemos o mundo.

Abaixo, listamos três mudanças essenciais que acontecem e mudam a vida das pessoas com essa idade.

Como o cérebro aos 25 anos muda

#3 Menos agilidade, mais conhecimento: O seu cérebro aperta o breque

Os adolescentes são rápidos e ágeis. Podem responder e fazer coisas enquanto desempenham outra tarefa sem problema algum. O mesmo funciona com identificação de padrões. Mas essa habilidade cognitiva chega ao seu pico aos 25 anos.

De acordo com um estudo publicado no jornal PLOS Computational Biology, que fez um estudo que envolve vários tipos de jogos como moedas ou dados, com pessoas de 9 até 91 anos, a identificação de padrões começa a cair depois dos 25.

Hector Zenil, que gerencia o estudo, no entanto, relata quei sso não é necessariamente uma coisa ruim. Apesar de menos habilidosos ao identificar rapidamente, desenvolvemos algo mais importante: sabedoria real.Enquanto outros sensos cognitivos decaem, a sabedoria sempre se desenvolve,inclusive até nossos 70 anos deidade.

#2 Maturidade: O córtex pré-frontal se ilumina

Aos 25 anos, seu gerenciamento de risco e suas habilidades de planejamento a longo prazo finalmente começam a funcionar melhor.

Cientistas publicaram na revista Nature Neuroscience que a área do seu cérebro que controlam funções básicas como comer, dormir e respirar são mais ou menos formadas no útero, mas o córtex pré-frontal (onde tomamos decisões mais seguras) leva mais tempo para desenvolver.

Quando chegamos aos 13 anos, nosso cérebro está totalmente formado em tamanho, mas continua em grande expansão interna. A matéria branca fica mais espessa, as sinapses são podadas e, lentamente – muito lentamente -, a capacidade de pensar estrategicamente sobre nossas necessidades e as necessidades dos outros se desenvolve.

Aos 25 anos, a remodelação chega ao fim. Mas, mais uma vez, ele vem com alguns efeitos colaterais positivos: nesta época, a maioria de nós sabe como controlar nossos impulsos, planejar e priorizar bem e organizar nossas vidas de uma forma que nos leve aos nossos objetivos finais. Nós, portanto, finalmente crescemos. Nos tornamos mais maduros.

#1 O desenvolvimento de uma personalidade: Fica mais difícil mudar

Um cérebro desenvolvido é também um cérebro mais “duro”. Aprendemos e mudamos constantemente até os 25 anos. Depois disso, fica um pouco mais difícil.

Em 2006, uma meta-análise de 92 estudos de personalidade publicados no Psychological Bulletin mostrou que nossa abertura a outras pessoas e ideias tende a se encerrar à medida que envelhecemos. A razão não é totalmente compreendida, mas provavelmente tem a ver com o fato de que você fica bastante seguro sobre o que pensa e sobre o que viu.

Por outro lado, pesquisas indicam que as mentes saudáveis enfrentam muitas escolhas, mesmo na velhice. Você pode escolher, por exemplo, ser uma pessoa aberta. O mesmo vale para habilidades, como tocar um instrumento, aprender a pintar, desenhar ou falar algum outro idioma.

Claro que essas atividades vão ficando um pouco mais difíceis à medida que envelhecemos, mas não deixam de ser interessantes. E nada como treinar e abastecer o seu cérebro de informações dia após dia. Sua mente agradece.

Por isso, se você fica ou ficou nervoso com a “crise dos 25”, pode se tranquilizar. As mudanças que ocorrem são para o bem. E para o nosso próprio desenvolvimento como ser humano. Cada vez mais temos a opção de nos tornar melhores. E mais sábios.

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin