Por trás de fotos históricas há sempre um observador corajoso acompanhado de sua câmera, que eterniza imagens marcantes como testemunho da humanidade.

O instante decisivo, o enquadramento e a luz. Tudo funciona como uma extensão do olhar do fotógrafo, um ponto de vista pessoal e subjetivo, que chegará nas mãos de qualquer um em uma linguagem universal.

Esta seleção de fotos mostra o companheiro inseparável do fotógrafo na hora de testemunhar o mundo: a câmera.

É interessante observar como mudam os modelos de acordo com a situação e época de cada foto. Também como é revelada a escolha pessoal de cada fotógrafo na hora de selecionar seu instrumento de trabalho.

As câmeras que registraram fotos históricas

“Afghan Girl”. Fotografia de Steve McCurry (1984) | Nikon Fm2

As câmeras por trás de fotos históricas

Sharbat Gula perdeu os pais durante o bombardeio soviético no Afeganistão e estava em um campo de refugiados quando foi fotografada por Steve, em 1984. A foto apareceu na capa da National Geographic de junho de 1985, mas a identidade da menina permaneceu um mistério até 2002. Naquele ano, a equipe da NG viajou de volta ao país de Gula. Quando entrevistada, aos 30 anos, ela disse se lembrar vividamente de ter sido fotografada, porque isso nunca tinha acontecido antes. A jovem nunca tinha imaginado o impacto que sua imagem causou no Ocidente.

“O Rebelde Desconhecido” (“Tank Man”). Fotografia de Jeff Widener (1989) | Nikon Fe2

As câmeras por trás de fotos históricas

O chinês, cuja identidade permanece desconhecida, foi fotografado quando parou os tanques Type 59 em um ato corajoso, durante os protestos na Praça Celestial em Pequim, em junho de 1989. O evento ocorreu um dia após o governo chinês reprimir violentamente os protestos de Tiananmen. A foto foi capa de incontáveis jornais e revistas influentes do mundo todo. Em abril de 1998, a revista Time colocou o “Rebelde Desconhecido” na lista das 100 pessoas mais influentes do século.

“V-J Day in Times Square”. Fotografia de Alfred Eisensteadt (1975) | Leica IIIa

As câmeras por trás de fotos históricas

Um marinheiro beija uma jovem no Dia V-J na Time Square, em 14 de agosto de 1945. O fotógrafo capturou um momento espontâneo entre dois desconhecidos em meio a celebração do fim da guerra contra o Japão. Apesar de muitas pessoas ao longo da história terem afirmado serem elas na foto, a identidade do casal permanece controversa.

“Migrant Mother”. Fotografia de Dorothea Lange (1936) |Graflex Super D

As câmeras por trás de fotos históricas

Na foto, Florence Owens Thompson e seus filhos, em 6 de março de 1936. A imagem foi registrada dentro de um acampamento de coletores de ervilha em Nipomo Mesa depois que a chuva destruiu a colheita, deixando os trabalhadores sem serviço e salário. Quando entrevistada em 2008, a filha Katherine disse que a fama da foto fez com que a família sentisse vergonha e determinação para sair da pobreza.

“Raising The Flag On Iwo Jima”. Fotografia de Joe Rosenthal (1945) | Speed Graphic

As câmeras por trás de fotos históricas

Fotografia histórica registrada em 23 de fevereiro de 1945 mostra cinco fuzileiros navais americanos e um paramédico da marinha americana fincando a bandeira dos EUA no topo de Monte Suribachi no Japão – em ato de celebração sobre a conquista da batalha de Iwo Jima durante a Segunda Guerra Mundial.

“The Hindenburg Disaster”. Fotografia de Sam Shere (1937) | Speed Graphic

As câmeras por trás de fotos históricas

Fotógrafo capturou o desastre da aeronave Hindenburg, que aconteceu em Manchester, Nova Jersey, em 6 de maio de 1937. Das 97 pessoas que estavam a bordo do voo, 36 morreram.

“Fire Escape Collapse”. Fotografia de Stanley Forma (1975) | Nikon F

As câmeras por trás de fotos históricas

Diana Bryant e sua afilhada de dois anos caindo da escada de incêndio de um prédio em chamas em Marlborough Street, em Bonston, no dia 22 de julho de 1975. A foto ganhou o Prêmio Pulitzer em 1976.

Capa do álbum “Abbey Road”, dos Beatles. Fotografia de Iain Mcmillan (1969) | Hasselblad

As câmeras por trás de fotos históricas

Capa emblemática dos Beatles ilustra o 12º álbum de estúdio da banda britânica, lançado em 26 de setembro de 1969. Os integrantes atravessam a rua Abbey Road em Londres, onde se situa o estúdio de mesmo nome. O álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock And Roll Hall of Fame.

Explosão do World Trade Center. Fotografia de Lyle Owerko (2001) | Fuji 645zi

As câmeras por trás de fotos históricas

O fotógrafo registrou o exato momento da explosão das torres gêmeas em 11 de setembro de 2001.

“The Terror of War”. Fotografia de Nick Ut (1972) | Leica M3

Kim Phuc, aos 9 anos, correndo aterrorizada com seus irmãos e primos depois de ser atingida por um ataque de napalm em 8 de junho de 1972. A imagem registrada pelo fotógrafo vietnamita se tornou símbolo do conflito que matou mais de 2 milhões de vietnamitas, muito deles civis. O fogo destruiu sua roupa e ela teve queimaduras severas na nuca, costas e braços. “Quando criança, eu desejava que aquela foto nunca tivesse sido tirada. Até que eu me tornei mãe e segurei meu filho em meus braços pela primeira vez”, disse Kim, aos 55 anos, em entrevista à Veja, em 2018.

“Guerillero Heroico”. Fotografia de Alberto Korda (1960) | Leica M2″

Famoso retrato de Ernesto “Che” Guevara foi registrado em 5 de março de 1960 em Havana, Cuba, durante um memorial dedicado às vítimas da explosão de La Coubre, um navio vindo da Bélgica com armas e munições para a nascente Revolução Cubana, cujos líderes descreveram como sabotagem. Korda disse ter se impressionado com o olhar do guerrilheiro, com 31 anos na foto, de “pura raiva pelas mortes que ocorreram no dia anterior”.

“Burning Monk”. Fotografia de Malcom Brwone (1963) | Petri

Thích Quảng Ðức, monge Mahayana, ateou fogo em seu próprio corpo durante uma manifestação na cidade de Saigon, Vietnã do Sul, contra a política religiosa do governo de Ngo Dinh Diem, em 11 de junho de 1963. A imagem é uma das mais icônicas do século XX.

“Earthrise”. Fotografia de William Anders (1968) | Hasselblad 500 EL

Foto registrada por um dos astronautas tripulantes da Apollo 8, que fizeram uma transmissão ao vivo direto da órbita lunar. Eles registraram as primeiras fotografias coloridas da Terra de dentro da nave. A imagem mostra o nascer da Terra visto em uma linha de horizonte lunar. Jim Lovell, outro astronauta tripulante, descreveu o planeta como um “grande oásis na imensidão do espaço”.

Leia mais sobre Fotografia!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin