Muito açúcar para o sangue é um problema, mas Aspartame não é seguro também para consumir, de acordo com cientistas.

Levou quatro décadas para questionar se esta substância que substitui o açúcar é nociva, e alguns estudos até concluíram que ele poderia causar problemas que vão de câncer até dano cerebral.

A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) realizou uma análise dos estudos disponíveis sobre o aspartame em 2013 e descobriu que é seguro – mas de acordo com novas pesquisas, isso é apenas porque eles rejeitaram todos os estudos alegando de outra forma.

Eles disseram que todos os 73 estudos que relatavam problemas na substância “não são confiáveis”. De todos os 81 estudos que alegaram ser seguro consumir Aspartame, disseram que apenas 19 não são confiáveis.

A equipe de Sussex está pedindo à União Européia que suspenda quaisquer vendas de produtos contendo aspartame até que a EFSA realize uma nova revisão – desta vez, a céu aberto e não a portas fechadas.

“É claro a partir desta pesquisa que os cientistas da EFSA não reconheceram numerosas inadequações nos estudos tranquilizadores”, disse o pesquisador Erik Millstone em um comunicado à imprensa, “mas em vez disso pegou pequenas imperfeições em todos os estudos fornecendo evidências de que o aspartame não é seguro.”

“Na minha opinião, com base nesta pesquisa, a questão de se os conflitos comerciais de interesse podem ter afetado o relatório do painel nunca pode ser descartada de forma adequada, porque todas as reuniões ocorreram a portas fechadas”, disse Millstone.

A proibição do aspartame teria, sem dúvida, sérias repercussões econômicas – está milhares de produtos, do chiclete ao refrigerante dietético, e você teria dificuldade em encontrar uma única grande empresa de alimentos que não a usasse.

Ao que podemos ver, os interesses de grandes corporações novamente sobrepõem a saúde das pessoas, e dos consumidores. De novo.

Veja mais sobre ciência.

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin