O lançamento da segunda temporada de Jujutsu Kaisen estourou ainda mais a sua popularidade, trazendo um novo estúdio para animar a obra e abordando um ponto crítico de toda a saga: o passado de Gojo e Geto. É comum que os fãs, inclusive eu, estejam ansiosos para novos episódios e vendo os responsáveis fazerem mágica com um desenho que acabou se tornando tão querido nos últimos anos.

No entanto, tanto o anime quanto o mangá carregam um problema gravíssimo e que acaba distanciando ainda mais o público novo da obra. Antes que venham com lanças e tochas, não estou falando do carisma dos personagens, da beleza que foi trazida entre as temporadas e o filme ou tampouco ousaria reclamar da história. Porém, temos de ser honestos, a linha do tempo que estão abordando se tornou uma verdadeira bagunça.

Não me entendam errado, caros leitores. Eu compreendo totalmente como está seguindo tudo isso e não tive dificuldades em avançar com toda esta trama. No entanto, vamos voltar um pouco nas ideias e tentar explicar para amigos, pares ou familiares a ordem correta para acompanhar todos os eventos adequadamente do anime. Será que, de primeira, conseguimos organizar tudo para os novatos ou a bagunça já foi formada?

Vale lembrar quem eram os heróis do anime em 2020

Jujutsu Kaisen para longe do público novo

É de conhecimento público que os mangás se tornaram obras mais curtas e não temos mais histórias que sejam como One Piece, Bleach e Naruto – quais ocuparam mais de dez anos dentro das páginas da Weekly Shonen Jump. Jujutsu Kaisen faz parte de uma nova leva, assim como My Hero Academia, que estão avançando consideravelmente – mas se aproximando de eventos fatídicos que prometem encerrar a sua história em relação aos principais vilões que confrontam.

Ainda assim, é injusto que se apoie tanto em um recurso que chegou cedo demais e que treme as estruturas de quem deseja iniciar a jornada agora. A estreia da segunda temporada escancara um problema sério em relação aos flashbacks, investindo demais no passado para uma história que, em termos de animação, “acabou de começar”.

Vamos voltar no tempo para debater isso com uma estrutura mais sólida. Bleach seguiu com alguns capítulos que preenchem lacunas, mas um arco inteiro do passado só vimos por volta do Volume 36 da compilação de mangás – após o Capítulo 315/Episódio 206. Naruto também, só tivemos o incidente da Kyubi explicado – assim como o desastre sofrido por seus pais – no Capítulo 500/Episódio 246. Já o arco entre Luffy, Ace e Sabo em One Piece só é contado após o Capítulo 586/Episódio 663.

Um flashback precisa de uma boa preparação

Ou seja, demorou muito para termos o passado de determinados personagens revelado e os eventos explicados – antes de um grande embate chegar. Jujutsu Kaisen atropela tudo isso e teve um arco inteiro para o seu passado logo no início da segunda temporada, o que é equivalente ao Capítulo 65. Além de ser cedo demais (ainda que haja relevância para o que trarão no futuro), também confunde quem deseja assistir ao desenho enquanto aproveita esta hype.

Como eu afirmei acima, não me entendam errado. Eu particularmente estou adorando a história de Gojo e me sinto impactado pelo nível da animação – que está enriquecendo ainda mais o que já tínhamos nas páginas no passado. Ainda assim, a sequência oferecida já apresenta alguns problemas – como os que presenciei, por exemplo, das pessoas que acompanham apenas o desenho animado já terem esquecido o nome do protagonista de toda a aventura ou acreditarem que o verdadeiro herói da história é o Gojo e não o trio de jovens aprendizes.

Alguém se recorda do verdadeiro protagonista desta história?

A ordem certa na cronologia

Em conversa com alguns amigos sobre Jujutsu Kaisen, determinamos que a ordem correta para a pessoa assistir e não se perder nos eventos do anime é a seguinte:

  • Primeira parte da Temporada 2;
  • Jujutsu Kaisen 0 – O Filme;
  • Primeira Temporada;
  • Segunda parte da Temporada 2
Ainda tivemos um filme neste meio

Ainda que esteja todo este conteúdo disponível na Crunchyroll, por exemplo, temos de admitir que assistir desta forma é bagunçado. Imaginem um seriado, onde tivessem que esperar para ver os primeiros anos porque apenas no terceiro que contarão uma história importante ou algo do gênero. Já seria cancelado pela Netflix, sem dó nem piedade. Ou você inicia contando as coisas devidamente ou espera um bom tempo para dar um contexto mais amplo sobre o que ocorreu por trás da trama.

Quer um exemplo recente? Oshi no Ko, cujo anime teve a decência de justamente iniciar com o flashback para não deixar ninguém confuso perante o resto da história. Impactaram da mesma forma, chamou a atenção de inúmeros fãs e trouxe uma profundidade tão grande que dificilmente vemos nos demais. Não é difícil, se pararmos para analisar, não é?

Nem mesmo as referências ficam imunes ao tempo

O mundo de Gege Akutami

Isso não significa que Gege Akutami está fazendo algo completamente errado ou cometeu uma falha gigantesca – já que todas suas decisões também passam pelo editor da Weekly Shonen Jump e pela direção da publicação. No entanto, o estúdio quis trazer o conteúdo exatamente como lemos e, pelo salto temporal que existe entre as histórias e também pelo tempo que esperamos para a produção de novas temporadas, as coisas não funcionaram como deveriam.

A primeira temporada de Jujutsu Kaisen chegou ainda em 2020, apresentando Itadori Yuji como o herói e mantendo-o neste papel durante 24 episódios. Já o filme, “Zero”, chegou dois anos depois – em 2022 – e sem o protagonista sequer aparecendo. Agora, no segundo semestre de 2023, temos o início da segunda temporada e continuamos sem ver mais nada da história central seguindo em frente. Eu sei, caros leitores, fará sentido depois…mas consegue falar isso de forma honesta aos iniciantes?

Vale afirmar que o protagonista só voltará a aparecer quase 2 anos e meio depois?

Quem deseja iniciar agora, recomendo que aguarde até este arco flashback encerrar para iniciar o anime da forma que é mais apropriada. A parte boa é que ele acaba rapidamente, sendo finalizado em 3 de agosto de 2023 e contando com apenas cinco episódios. A parte ruim é manter a hype até lá, considerando que a campanha de marketing está investindo pesado e estamos vendo ele aparecer em todos os lados (fora os spoilers).

Ainda assim, Jujutsu Kaisen mantém a sua ordem esquisita de se contar uma história – qual, em minha opinião, poderia ter sido melhor administrada ou aproveitado melhor este tempo ausente. Uma obra confusa não é necessariamente ruim, porém se torna menos acessível e obriga um grupo de pessoas a segurar suas próprias expectativas em prol de quem está acompanhando fielmente. Continuarei aproveitando, mas caso esteja nesta situação, aconselho a respirar e esperar só mais um pouco – para assim, contemplar a melhor forma de acompanhar toda a trama.

Veja mais em Animações e Curtas!

Subscribe
Notify of
guest

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Igor
Igor
8 meses atrás

Bem colocado!

Pin