Esta perspectiva dos Pilares da Eternidade, uma das mais famosas fotografias tiradas pelo Telescópio Hubble, nos faz pensar o quanto somos insignificantes.

O usuário do Reddit TopalthePilot publicou essa imagem, querendo dizer que aquele ponto mínimo destacado, por exemplo, abriga nada menos do que 170 bilhões de Km de largura.

A fotografia retrata gás interestelar e poeira na Nebulosa da Águia, especificamente na constelação de Serpens, a cerca de 6.500 a 7.000 anos-luz da Terra. É chamada assim, de Pilares da Eternidade, porque o gás e a poeira estão no processo de criar novas estrelas, enquanto também estão sendo corroídos pela luz das estrelas próximas que se formaram recentemente.

Em 1º de abril de 1995, os astrônomos responsáveis pela foto foram Jeff Hester e Paul Scowen, da Universidade do Estado de Arizona. A região foi fotografada novamente pelo Observatório Espacial Herschel da ESA em 2011, e novamente pelo Hubble em 2014 com uma câmera mais nova.

Foto que você confere abaixo:

Esta imagem de campo amplo mostra não apenas os pilares centrais, mas também vários outros na mesma região de formação de estrelas, bem como um grande número de estrelas na frente ou atrás da Nebulosa da Águia. O aglomerado de estrelas brilhantes no canto superior direito é NGC 6611, lar das estrelas massivas e quentes que iluminam os pilares. O “Spire” – outro grande pilar – está no meio esquerdo da imagem.

Os pilares têm cerca de 5 anos-luz de altura e são banhados pela luz ultravioleta de um grupo de estrelas jovens e massivas localizadas na parte superior da imagem. Flâmulas de gás podem ser vistas sangrando dos pilares enquanto a radiação intensa aquece e evapora para o espaço. Regiões mais densas dos pilares estão sombreando o material abaixo deles da poderosa radiação. Estrelas nascem profundamente dentro dos pilares, que são feitos de gás hidrogênio frio misturado com poeira. Os pilares fazem parte de uma pequena região da Nebulosa da Águia, uma vasta região formadora de estrelas a 6.500 anos-luz da Terra. As cores na imagem destacam a emissão de vários elementos químicos. A emissão de oxigênio é azul, o enxofre é laranja e o hidrogênio e o nitrogênio são verdes.

Um verdadeiro espetáculo do universo registrado pelas lentes do Telescópio Hubble.

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin