O astrônomo Stuart Clarke tem uma possível resposta do porquê algumas pessoas conseguem acreditar na teoria da Terra plana.

Em 2016 terraplanistas trouxeram à tona a ideia de que há uma conspiração mundial envolvendo cientistas do mundo todo para que todos acreditem que vivemos em uma esfera.

Desde então, nos últimos três anos, terraplanistas se reuniram em comunidades na Internet para convencer as pessoas com a tal teoria. Eles estão em canais do Youtube, em grupos do Facebook – que no Brasil tem mais 77 mil membros – e até em convenções, como aconteceu em Birmingham, na Inglaterra.

Se isso te parece absurda, a primeira pergunta deve ser: como algumas pessoas realmente acreditam nisso? Seria o analfabetismo científico em seu mais perturbador reflexo?

Porque algumas pessoas acreditam na teoria da Terra plana

O astrônomo inglês Stuart Clark explica que essa teoria age de maneira semelhante às narrativas populares e folclores (as antigas ‘estórias’), que sempre conquistaram e fascinaram os humanos.

Durante muito tempo, tais narrativas deram sentido a nossas vidas e ao mundo em que vivemos, pois além de serem de fácil compreensão, revestem nossa existência de significado.

Por outro lado, a ciência é uma maneira de construir o que se espera que seja uma verdadeira história, ou seja, algo factual, que pode ser comprovado através de experimentos.

Stuart explica que, durante diferentes épocas, teorias científicas foram anuladas de acordo com as compreensões mais precisas que alcançamos sobre o universo que nos cerca. E essa dinâmica complica um pouco a situação. Porque algumas pessoas tendem a rejeitar a realidade que a ciência apresenta à medida que alcança novos fatos, e preferem retornar aos mitos que antes já nos confortaram um dia.

Esses mitos, segundo o astrônomo, oferecem uma zona de conforto onde as pessoas encontram muito mais alegria do que na realidade como ela é.

Essa parece a mesma sedução que se utiliza a pseudociência, ao dialogar intimamente com o emocional das pessoas e oferecer uma possibilidade de alegria e fantasia que a realidade, dura e crua, não oferece.

É por isso que aquela frase polêmica de que a astrologia é a Terra plana socialmente aceita faz tanto sentido.

O cientista, em sua opinião pessoal, ainda levanta a possibilidade de que os terraplanistas lançaram essa teoria por diversão para simplesmente ver até onde isso poderia ser levado. Mas essa ideia soa muito otimista.

Lançando algumas ideias que refutam essa teoria, Stuart explica que uma superfície plana é bastante instável, e por esse motivo, outras forças seriam capazes de flexiona-la e movê-la. Até aí, já se tem um argumento inicial para contra-argumentar com terraplanistas.

O cientista também sugere outras questões para você fazer a um terraplanista:

Qual espessura o planeta teria? Se você supõe que a Terra possui uma borda, como as coisas caem dali? O que geraria a gravidade para fazer as coisas caírem?

Por último, Stuart diz que apenas começar a falar de como seria a Terra plana já é muito complicado, porque isso é simplesmente… impossível.

Stuart Clarke é divulgador científico e se propõe a compartilhar de maneira compreensível e didática todo seu conhecimento, tornando assuntos complexos acessíveis ao mais diverso público. Para tanto, ele também atua como jornalista.

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin