O jornal China Daily revelou que um sistema de reconhecimento facial está sendo considerado para implementação no metrô da capital chinesa, Pequim.

Chamada de uma “tecnologia de bio-reconhecimento”, o sistema incluiria reconhecimento da palma da mão e do rosto das pessoas – o que aumentaria a eficiência do transporte coletivo e evitaria grandes filas e lentidão nas estações durante a hora do rush.

Ambas as tecnologias podem permitir que os passageiros passem por canais de emissão de bilhetes e quiosques sem precisar parar para passar um cartão ou até mesmo um smartphone.

No caso, precisaria apenas colocar a palma da mão para o sistema reconhecer. Ou até mesmo apenas passar – caso o reconhecimento facial seja efetivo.

Aparentemente, os scanners de mãos já estão em uso no sistema de metrô de Xangai e são eficientes. Os relatórios sugerem que as imagens da palma da mão digitalizadas podem ser comparadas com um banco de dados de impressões digitais em apenas alguns segundos.

Pequim tem 22 ferrovias urbanas e uma capacidade diária de 10 milhões de pessoas. Tornar o sistema mais fluido é prioridade máxima no transporte local. Além disso, essas tecnologias podem ajudar a reduzir a evasão de tarifas.

Algumas pessoas podem se sentir desconfortáveis com as medidas, mas a questão é que na China eles estão um pouco acostumados com isso.

As agências de segurança da China já têm permissão para escanear rostos e placas de registro de veículos de fora de Pequim em seus esforços para reduzir o crime.

E a vigilância também é usada para fins mais inócuos – em alguns restaurantes de fast food do país, essa tecnologia é usada para acelerar as filas.

De qualquer forma, se der certo em território chinês, provavelmente veremos a exportação desta tecnologia para outras metrópoles.

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin