Com a pandemia, visitar uma sala de cinema se tornou impossível e muitos ficaram presos em casa – “reféns” por assim dizer das plataformas de streaming e da rede aberta e fechada de TV. Filmes eram consumidos apenas desta forma durante os dois primeiros anos em que o COVID-19 estava fazendo diversas vítimas.

Com as salas voltando a abrir normalmente mais próximo ao último trimestre de 2022, um grande impacto foi visto – tanto pela população quanto para os responsáveis pelos estabelecimentos. Nada de filas colossais. Nada de grande disputas para conseguir aquele esperado ingresso para ver algo na estreia. Queda nas bilheterias, observada nos grandes blockbusters como uma grande preocupação.

Afinal, muita coisa mudou neste curto período de tempo e o cinema não se tornou mais a mesma coisa. Infelizmente, isso foi um grande reflexo de como a sociedade está se portando e gerando novas questões para quem não tirava o balde de pipoca de sua mão.

Longe do cinema é melhor?

Desde que voltei a visitar o cinema, em diferentes localizações, senti grandes mudanças que vão além da ausência de filas e da qualidade das sessões. Uma delas é no peso do preço dos ingressos, que antes não representavam um problema tão grande e sinto que hoje é decisivo para definir se devo ou não assistir a determinados filmes.

Alguns dá para ver no streaming daqui a um mês e meio/dois meses aproximadamente. Outros eu corro para ver e fugir de spoilers e, mesmo estes eu, acabo escolhendo um a cada 30 dias para dar prioridade. Óbvio que a saturação de produções geek provocam parte disso, mas o valor cobrado em cada sessão tornou o hobby bem mais restrito nos últimos anos.

Em 2024 estou sentindo uma diferença neste aspecto, sem aquela avalanche de produções surgindo com um blockbuster todo mês. Para ser honesto, fui no cinema apenas estes últimos dias para ver Godzilla X Kong: O Novo Império. De janeiro para cá, não senti que qualquer outro valeria a pena o deslocamento + gastos. E acredito que este ritmo será mantido nos próximos meses.

Godzilla x Kong

O comportamento do público

Foi justamente esta ida à sessão de Godzilla x Kong: O Novo Império que me motivou a escrever isso. Porque ressaltou um problema que andei reparando que ocorre cada vez mais frequentemente e que mudou em definitivo minha relação com o cinema: seu público.

Pense em uma sala escura, onde uma mãe com filho jovem – aproximadamente seus 14 anos – não desligavam o celular nem por um minuto? Se a iluminação dele comum já incomoda, agora multiplique isso para os diversos flashes que estavam tirando fotos um do outro ali. Como disse, esta não é a primeira vez que encaro isso. Em Avatar: O Caminho da Água, por exemplo, tinha um rapaz ao meu lado cujo smartwatch acendia a luz na minha cara a cada 10 segundos. Isso sem contar outros tipos de situaçoes.

E vai ser você a arrumar briga no meio do cinema? Em pleno ano de 2024? Onde pessoas sem controle emocional portam armas e estão preparadas para ir para cima de você pela menor das razões? Em alguns casos podemos chamar a atenção, mas é em toda sessão que isto ocorre. Se antes nossos problemas eram as conversas, isso ficou ainda pior quando todos passaram a achar que estão na sala de sua casa.

Qualidade é tudo, mas e a disposição?

Sim caros leitores, eu sei que no cinema a qualidade é de outro nível – assim como o som, que continua impactante em diversas produções. Falei das conversas acima, mas tive cada vez menos incômodo com isso já que muitas sessões estão aderindo a trazer som na medida certa: que não estoure seus ouvidos e cause dor de cabeça, mas alto o suficiente para não ouvir os papos ao seu redor.

Ainda assim, os demais fatores me deixam completamente indisposto a continuar acompanhando cada grande lançamento nos cinemas. Os “anos 20” estão mudando muitos conceitos e eu acredito que este tenha sido impactado tanto por Hollywood, quanto pela tentativa dos estabelecimentos terem um retorno financeiro perdido na pandemia e a falta de educação das pessoas. Vira um combo, sabe?

Continuarei indo no cinema em algumas situações, como desejo assistir Furiosa: Uma Saga Mad Max; Haikyu! The Dumpster Battle; Deadpool & Wolverine; Coringa: Delírio a Dois; Karate Kid e diversos outros. No entanto, sinto que estes problemas descritos acima não devem melhorar e que voltarão a ser uma preocupação em cada um destes que eu sair de casa para vê-los. E o que veria além deles, passam para o streaming – onde o estresse e o peso da carteira se tornam menores.

Subscribe
Notify of
guest

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcio Maia
Marcio Maia
1 mês atrás

Te aconselho a assistir Instinto Materno e Ferrari. São muito bons!

Pin