O cinema e a TV não são apenas histórias que passam pelos nossos olhos. O roteiro de um filme vai além das lágrimas ou dos sorrisos. O enredo de um longa de ficção não é apenas a tristeza, a alegria, a melancolia ou o medo que gera no espectador.

Um bom documentário permanece no tempo, cutucando quem assistiu e dando voz a quem não consegue se fazer ouvir. Imagens, fotografia, bandas sonoras, cenários, adereços e personagens “escapam” das telas do cinema e são verdadeiras lições cinematográficas.

Curiosamente roteiristas ou TCC escritores se ligam de alguma forma, na confecção de trabalhos, que de formas diferentes, irão impactar a vida de uma pessoa. Tal como um bom roteiro conduz a bom filme, um bom trabalho acadêmico conduz a uma boa carreira profissional. É, por um motivo e outro, que ambos podem ser inspiradores.

O papel dos filmes na educação

Partimos do princípio que um bom filme é maior do que as sensações passageiras que desperta. A palavra “sensação”, aliás, é leve para explicar uma boa história cinematográfica. Sentimentos, comportamentos e ações talvez sejam os melhores adjetivos.

Nada como um filme sobre felicidade, por exemplo, para alegrar ou despertar sentimentos, certo? Portanto, um filme tem um papel bem importante nos sentimentos e nos comportamentos. Claro que um filme pode ser “apenas” puro entretenimento: uma história fácil, uma comédia romântica leve ou um filme de terror – e não há nenhum mal nisso! Porque, o primeiro objetivo do filme é entreter. Se, cumprido este objectivo, o filme for inspirador, motivador, poderoso e agitador de consciências, melhor ainda!

Até os romances mais curtos de todos os tempos deram vida a histórias que ultrapassam essa frágil barreira temporal. Portanto, filmes educativos e inspiradores ecoam no tempo.

Filmes inspiradores na capacitação de educadores e alunos: os mais óbvios ou conhecidos

A sociedade dos poetas mortos (Dead Poets Society), com a brilhante interpretação de Robin Williams é, sem dúvida, um dos filmes mais inspiradores no empoderamento de alunos e educadores. Lançado em 1990, este drama, repleto de humor e sabedoria, conta a história do professor de literatura inglesa John Keating, que na década de 50 chega à escola de elite para garotos, a Welton Academy, revolucionando o lugar, com seu métodos de ensino pouco convencionais. Mais do que ensinar literatura, os alunos vão aprender a serem extraordinários, a seguirem seus sonhos e a viverem intensamente. Sob o lema “Carpe Diem” (Aproveite o dia, o momento) Keating vai ensinar seus alunos a serem os escritores das suas vidas, vivendo de acordo com seus ideais e apreciando a beleza da vida. As técnicas de ensino do professor vão impactar para sempre a vida desses garotos. Imperdível!

Escritores da Liberdade (Freedom writers), lançado em 2007, com a magnífica interpretação de Hilary Swank. A atriz interpreta o papel de uma jovem professora, numa escola de um bairro pobre, onde a violência e a intolerância são palavras de ordem. A jovem professora vai portanto usar métodos de ensino pouco convencionais para que seus alunos aprendam a se tolerar e a buscar educação além do ensino médio.

Na mesma linha dos dois filmes anteriores, temos também:

  • Ao mestre, com carinho (To Sir, with Love), de 1967
  • O Aluno: uma lição de vida (The First Grader), de 2010
  • Meu Mestre, Minha Vida (Lean on Me), de 1989
  • A luta por um ideal (Won’t Back Down), de 2006

São filmes poderosos e inspiradores, com interpretações inolvidáveis de grandes atores e atrizes, que despertam no espectador a vontade de fazer mais, de fazer melhor, de ser a melhor versão de si mesmo.

Para ver pelo menos uma vez na vida

Encontrando Forrester (Finding Forrester), com Sean Connery e Robert Brown, nos papéis de William Forrester e Jamal Wallace, numa amizade improvável entre um jovem aspirante a escritor, oriundo de um bairro pobre, e o vencedor de um Pulitzer, recluso por vontade própria em sua casa.

Gênio Indomável (Good Will Hunting), com Robbie Williams e Matt Damon, nos papéis do analista Sean McGuire e do rebelde Will Hunting. Um drama que obriga o espectador a ver para lá das aparências, onde o status não tem relevância e onde a essência é a força motriz de relações pouco prováveis e ainda assim tão sentidas.

Em Busca da Perfeição (Whiplash), com Miles Teller e J. K. Simmons, nos papéis de aluno e professor, com Andrew que deseja ser o melhor baterista e o impiedoso professor Terence Fletcher a ultrapassar os limites em busca da perfeição.

Quantos filmes não existirão que todo o mundo deveria assistir? Em 2016, Hollywood lançou a lista dos 100 melhores filmes de sempre. Talvez seja uma lista já desatualizada, mas ainda assim, alguns deles nunca passam de moda.

Veja mais sobre Cinema e TV!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin