Este é o Robô-preguiça (SlothBot), uma pequena máquina para ser usada no Jardim Botânico de Atlanta, que imita o estilo de vida de baixa energia de preguiças reais. Ele foi feito unicamente para observação contínua prolongada.

“O SlothBot adota a lentidão como um princípio de design”, disse Magnus Egerstedt, professor e presidente Steve W. Chaddick na Escola de Engenharia Elétrica e de Computação da Georgia Tech School. “Não é assim que os robôs são normalmente projetados hoje em dia, mas a eficiência lenta e a hiperenergia permitirão que o SlothBot permaneça no ambiente para observar coisas que só podemos ver estando presentes continuamente por meses ou até anos ali.”

Na verdade, não tem uma razão específica para ele se parecer com uma preguiça. Mas ele fica adorável assim, e como é um dispositivo que se move parecido com um bicho desses, e adota o uso de energia bem baixo, levou o nome e também a aparência do animal.

Com cerca de um metro e meio de comprimento, a caprichosa caçamba impressa em 3D do robô ajuda a proteger seus motores, engrenagens, baterias e equipamentos de detecção de intempéries.

Ele está programado para se mover apenas quando necessário e localizará a luz do sol quando as baterias precisarem ser recarregadas.

No Jardim Botânico de Atlanta, o SlothBot operará com um único cabo de 30 metros, mas em aplicações ambientais maiores, poderá mudar de cabo para cabo para cobrir mais território.

“O objetivo mais empolgante que demonstraremos com o SlothBot é a união de robótica e tecnologia com conservação”, disse Emily Coffey, vice-presidente de conservação e pesquisa do Jadim Botânico. “Fazemos pesquisas de conservação de plantas e ecossistemas ameaçados em todo o mundo, e o SlothBot nos ajudará a encontrar maneiras novas e empolgantes de avançar em nossas metas de pesquisa e conservação. O SlothBot poderia fazer parte de nossa pesquisa remotamente e nos ajudar a entender o que está acontecendo com polinizadores, interações entre plantas e animais e outros fenômenos difíceis de observar de outra forma. A rápida perda de biodiversidade e com mais de um quarto das plantas do mundo potencialmente caminhando para a extinção, o SlothBot nos oferece outra maneira de trabalhar para conservar essas espécies”.

Mais detalhes sobre o projeto você encontra aqui.

Abaixo, um vídeo sobre.

O Robô-preguiça em ação

Veja mais sobre futurismo!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pin